Nanã Burukú, ou Nanã Buruquê, é a senhora dos portais da vida e morte na Umbanda. Responsável pela preparação para a reencarnação das almas, domina pântanos, mangues e chuva.

Nanã Burukú – Senhora dos portais da vida e da morte na Umbanda

Nanã é a mais velha orixá do panteão africano. Além disso é mãe de Obaluaiê, Ossaim, Oxumaré e Ewá com o Grande Pai da Umbanda, Oxalá.

O termo “nanan” significa “raiz”, ou seja, aquela que se encontra no centro da terra, raiz original da qual tudo vem.

Nanã Burukú tem um papel importantíssimo na criação de Deus, pois, ela detém o poder de “decantar” as impurezas das almas, purificando-as na lama primordial, que é seu elemento natural nos pântanos.

Ela recicla, assim, para reencarnar na terra, as almas limpas e sem a memória da vida passada, visando, então, um novo grau de evolução espiritual para aquele espírito.

A orixá Nanã é a face mais madura das iabás da Umbanda (orixás femininas).

Enquanto Oxum é caracterizada como a mulher mais jovem, seguida de Iemanjá que representa a fase reprodutiva; Mãe Nanã é a representação da mulher no início da menopausa até a maturidade plena – a sábia anciã que cumpriu uma jornada de conhecimento e prepara-se para a passagem reencarnatória.

Orixá Nanã Burakú

O propósito de cultuar Mãe Nanã

Quando cultuamos Nanã Burukú estamos buscando o axé e a força de uma orixá de grande sabedoria acumulada pela vivência dos anos, que nos ensina a lançar um olhar para dentro de si, buscando desacelerar, diminuir o ritmo de atividades, e assim apurar o nosso espírito, visando aperfeiçoá-lo.

Função decantadora

Vovó Nanã nos convida a fazer uma análise profunda de nossas atitudes, de nossos traumas, de tudo aquilo que é, ou foi indigesto, em algum momento de nossas vidas, e decantá-los.

Decantar no sentido de adormecer, superar aquilo que é passado e não pode mover o presente ou ser a base do futuro.

O culto a Mãe Nanã nos ensina decantar, a superar e desprender dos rancores, das mágoas, nos livrar das atitudes tempestivas e impensadas, abrandar a fúria que nos assombra em certos momentos, e descartar o ódio e as vinganças fúteis.

Nanã nos remete ao que é essencial, ela aconselha a descartar o “peso que se carrega nas costas” para ter uma vida mais leve e equilibrada.

Aceitação da maturidade e envelhecimento

O culto a Mãe Burukú nos ajuda na aceitação do envelhecimento, na compreensão de que a da juventude e vigor que vivemos certa vez não serão parte de nossa vida sempre, e; que devemos fazer uma adaptação ao novo modo de viver com maturidade, para atravessar essa fase com qualidade de vida.

Os domínios e indumentárias de Nanã Burukú

Como ela tem o poder de trazer as almas limpas, sem a memória da vida passada, Nanã tem também domínio sobre a memória das pessoas.

É a orixá protetora dos idosos, dos desabrigados, dos doentes e também dos deficientes visuais.

Nanã dá a reencarnação ao espírito que já sublimou e evoluiu a ponte da morte, e prepara-se em suas mãos para atravessar uma nova estrada e renascer para uma nova vida.

Nanã é dona do ibiri, que pertence a sua indumentária e afasta os espíritos (eguns) para o espaço sagrado destinado a eles; além de “varrer” as energias negativas do espaço sagrado do terreiro, proporcionando a longevidade aos membros da comunidade.

Dia de Nanã Burukú e o sincretismo religioso

Dia 26 de Julho é o dia consagrado a velha orixás dos pântanos, pois ela foi sincretizada pela Igreja Católica com Sant’Ana, a avó de Jesus Cristo.

Características dos filhos da orixá Nanã

Os filhos da orixá Nanã não costumam ser muito ligados à sensualidade, pois valorizam mais a ascensão profissional ou social.

Normalmente são severos, muito ligados a seus valores morais e austeros na educação e proteção da família; o que, muitas vezes, os fazem parecer rabugentos e serem temidos.

Quando lhes compete tomar uma decisão são lentos e o fazem com uma calma e serenidade bem peculiares; que são responsáveis por seus comuns acertos e também por seu equilíbrio interior.

Os filhos desta orixá costumam também ser pessoas bondosas, simpáticas e muito confiáveis.

Nanã Burukú é soberana e empresta a seus filhos a capacidade de, ao experimentar a dor e o sofrimento, renascerem mais fortes; com mais sabedoria e, portanto, com maior capacidade controlarem suas próprias emoções.

Lentidão

Quando lhes compete tomar uma decisão, nunca se afobam nem se apressam. Costumam ser lentos e, assim, tomam todo o tempo que julgam necessário para tomar a decisão que lhes parece mais correta.

Essa calma e serenidade peculiares são as características geralmente responsáveis por sua fama de sábios e também por seu equilíbrio interior.

Nanã Burukú é soberana e empresta a seus filhos a capacidade de, ao experimentar a dor e o sofrimento, e; com eles; aprender suas lições.

Após situações de grande sofrimento e turbulências, renascem mais fortes e mais sábios e, portanto; com maior capacidade controlarem suas próprias emoções.

Calmos, discretos e extremamente benevolentes, sempre agem com dignidade e gentileza, mas têm uma dificuldade nata em cumprir horários, já que estão sempre achando que o dia é muito mais longo do que realmente é, e pode esperar por sua lentidão.

Um certo egoísmo

Nanã é a mais velha dos orixás e, talvez por isso; seus filhos sejam muito amorosos e também um pouco egoístas.

O filho de Nanã pode ser muito possessivo, chegando a ser ciumento com seus amigos e pessoas mais próximas.

São exclusivistas e não admitem dividir suas idéias. Dedicam-se sem reservas a seus amigos e parentes; porém, procuram sempre criar barreiras para que encontrem novas amizades e novos caminhos.

Pessoas compreensivas

Os filhos de Nanã são pessoas com uma capacidade extrema de entendimento e compreensão com as falhas humanas e por causa disso perdoam e consolam aos que erram com grande facilidade.

Vivem voltados para o bem estar da comunidade sempre fazendo o possível para atender as vontades e necessidades de todos.

Quando estão em harmonia com seu orixá, os filhos de Nanã tem reações bem equilibradas e a pertinência das decisões, o conservam sempre no caminho da sabedoria e da justiça.

Os filhos da Orixá Nanã no amor

As pessoas regidas por Nanã têm uma vida amorosa cheia de romantismo. São consideradas amantes inesquecíveis por saberem ser afetuosas e dedicados, mesmo quando o romance passa por uma crise.

Sabem o que deve ser dito da melhor forma possível, o que facilita harmonizar qualquer relacionamento. Sua sinceridade, às vezes, é cortante, mais jamais tem a intenção de humilhar quem ama.

São pessoas que buscam relações duradouras e possuem grande talento para comandar uma família, pois tem um senso de responsabilidade invejável.

Os filhos da Orixá Nanã no profissional

No trabalho, sempre buscam ter estabilidade na vida. Por isso, não gostam de se arriscar em empregos novos, trocas repentinas de empregos, nem empregos temporários por uma grande salário, pois sabe que estará sempre arriscando seus talentos em situações em que as falsidades podem falar mais alto.

Tudo o que faz é com grande paciência e mesmo que lhe digam que o barco está afundando não se desespera. Coloca suas ideias no lugar e traça a melhor estratégia para organizar tudo e deixar as coisas no eixo.

Fazer fortuna não é seu sonho, mas gostam de luxo e conforto, por isso, geralmente buscam profissões que lhes garantam estabilidade e bons rendimentos.

Trabalham muito bem em equipe, mas sentem-se melhor trabalhando sozinhos.

Culto a Nanã

É a Nanã Burukú que devemos clamar quando precisamos nos perdoar e nos livrar do passado. É a ela que devemos fazer nossas oferendas quando algo que passou estiver nos impedindo de avançar em nossa vida e em nossa felicidade.

Ela é mais antiga dos Orixás, um orixá da pré-história, anterior à idade do ferro; por isso, em seu culto não se usam objetos de metal.

  • Dia da semana: domingo
  • Comemoração anual: 26 de Julho
  • Sincretismo religioso: Sant’Anna
  • Cores: lilás, lavanda, violeta, preto, azul escuro, rosa.
  • Velas: branca, lilás, roxa, bicolor branca e lilás.
  • Saudação: Salúba, Nanã!
  • Elementos; água doce, lama, terra, lodo.
  • Oferendas: sarapatel, bolinho de batata doce, feijão preto, manjar, etc.
  • Flores e ervas: crisântemo, lavanda, cipreste, assa-peixe, avenca, manacá, quaresmeira, manjericão roxo, ipê roxo, canela de velho, hortênsia, etc.
  • Bebidas: suco de uva, vinho licoroso rose, água mineral.
  • Pedras: ametista, cacoxenita, tanzanita.

Oração a Nanã

Oração a Nanã Burakú

“Oh, Divina Mãe Nanã, Senhora das águas paradas, aquieta os corações dos teus filhos sempre que estiverem aflitos, e ensina-nos a tua paciência e tua a perseverança; ensina-nos a esperar com fé a luz de um novo amanhã.

Oh, Nanã, anciã de grande sabedoria, estende sobre nós o teu manto sagrado de água e terra, depurando todas as impurezas, angústias e tristezas que nos paralisam e fecham nosso caminhos.

Purifica e transmuta os nossos sentimentos e os mais íntimos pensamentos que teimam em nos inquietar e desassossegar, impedindo-nos de ver a razão.

Que as tuas águas calmas lave nossas almas, o nosso íntimo, o nosso querer, levando, assim, embora tudo o que não seja luz, serenidade e paz.

Que a tua sabedoria e serenidade seja sempre nosso guia nos melhores e nos piores momentos, levando-nos, assim, aos caminhos da luz e da evolução espiritual.

Saluba Nanã!”

Quer descobrir suas entidades e orixás?

Se você tem dúvidas sobre as entidades que regem seus caminhos, faça uma consulta espiritual para revelar com detalhes todos os regentes da sua espiritualidade.

Nessa consulta, a sacerdotisa de Umbanda vai revelar seus orixás regentes e entidades (Exú e Pombagira, Pretos Velhos, Caboclos e Ciganos).

Glaucia Carvalho, que tem mais de 30 anos de experiência como sacerdotisa de Umbanda; vai orientar em suas dúvidas do ponto de vista espiritual e responder suas perguntas enviadas.

Faça hoje mesmo sua consulta.

Siga-me nas redes sociais